EXAMES

Exames metabólicos e
genéticos de classe mundial

Além dos exames laboratoriais e de imagem, temos disponíveis também exames avançados. Através de exames de genética e metabolismo conseguimos ampliar o mapeamento das especificidades do paciente.

Surge, dentro dessa perspectiva, a possibilidade da personalização do tratamento. Ao realizar uma investigação clínica, baseada em estudos específicos para a interpretação de resultados, elabora-se um planejamento individual em busca da saúde e do bem-estar.

Importante:
Os exames laboratoriais, de imagem, genéticos e metabolômicos são solicitados conforme necessidade evidenciada durante a anamnese, com indicação clínica precisa e individualizada e orientação, estabelecida pelo médico. As informações sobre preparos e coletas são de obrigação dos laboratórios responsáveis pela realização de cada exame.

Organix

Através da coleta da urina, que é enviada à Atlanta, nos Estados Unidos, é possível traçar o perfil de ácidos orgânicos urinários completos. O resultado permite uma visão aos processos metabólicos das células e a eficiência das funções metabólicas celulares, avaliando a função mitocondrial na produção de energia.

Ao identificar os bloqueis metabólicos é possível personalizar intervenções nutricionais e clínicas que aumentam a resposta terapêutica do paciente, levando ao equilíbrio do metabolismo molecular.

Para entender melhor:

Os ácidos orgânicos são intermediários metabólicos presentes durante a produção de energia central, desintoxicação, esgotamento de neurotransmissores ou atividade macrobiótica. A presença dessas ácidos orgânicos na urina, geralmente sinaliza uma inibição ou um bloqueio do metabolismo. Esse bloqueio metabólico pode se dar por uma deficiência de absorção de nutriente, um déficit herdado de enzimas, acúmulo tóxico ou efeito de drogas, que podem ser marcadores de crescimento excessivo de bactérias intestinais ou leveduras.

Com uma única amostra, o perfil orgânico urinário fornece informações importante nas áreas de:

• insuficiência de vitaminas e minerais;
• insuficiência de aminoácidos carreadores de gorduras e percussores de neurotransmissores;
• danos oxidativos e marcadores de suficiência de antioxidantes;
• indicadores para calcular suficiência de desintoxicação;
• marcadores funcionais de deficiência de complexo-B;
• metabólitos de neurotransmissores para avaliar as funções do Sistema Nervoso Central (SNC).

É possível também avaliar a produção de energia mitocondrial por componentes no ciclo do ácido cítrico: • status de suficiência de metilação; • marcadores de insuficiência de coenzima Q10 (CoQ10) e ácido lipoico; • marcadores de disbiose específicos para crescimento excessivo de bactéria e leveduras.

Através de uma ampla matriz de análise clínica do ponto de vista molecular é possível encontramos marcadores específico como:

• xanturenato – marcador específicvo de deficiência de Vitamina B6;
• formiminoglutamato (FIGLU) – indicador de insuficiência de ácido fólico;
• quinolinato – metabólito de L-triptofano altamente neuro-tóxico;
• 8-OH Desoxiguanosina – produto específico do dano oxidativo do DNA;
• d-Lactato – marcador sensível de crescimento execessivo de L. Acidófilos e de neurotoxina potencial;
• d-arabinitol – marcador bem documentado de disbiose de Cândida SP;
• metilação (FIGLU).

Fitsport

Através do exame de DNA identifica as predisposições genéticas para otimização do treino, melhora do desempenho, alcance da performance física ideal e manutenção de resultados alcançados.

Sabemos que cada músculo é constituído de fibras, classificadas de acordo com a velocidade de contração e resistência à fadiga, ao conhece-las, é possível diagnosticar à predisposição para cada tipo de esforço. Além disso, para otimizar a atividade física e além disso eliminar gordura, é necessário conhecer como está a sua função lipolítica.

Com esse exame, também é possível identificar a capacidade de normalizar o estresse oxidativo, afinal a atividade física produz radicais livres em excesso cuja permanência no organismo retarda a recuperação e condiciona o desempenho esportivo. Além disso, é possível diagnosticar o grau da resposta inflamatória do organismo, que é importante para uma rápida e completa resolução de possíveis lesões.

Temos na nossa equipe, educadores físicos treinados para desenvolver protocolos baseados na leitura dos resultados desse exame.

Igenesis

É um exame genético que, através da coleta de DNA, traça a relação entre a alimentação e a genética, o que permite a máxima personalização nas questões relacionadas ao controle do peso, à saúde e bem-estar. A análise dos exames é feita em cinco módulos:

Vitaminas e minerais:

É fundamental importância compreendermos a importância das vitaminas no desempenho do metabolismo celular e a necessidade de uma correta administração dos micronutrientes, por si só, não produz. As informações genéticas fornecidas sobre o metabolismo e a absorção das vitaminas permitem a personalização do programa alimentar. Nesse módulo também ocorre a análise referente à absorção do cálcio e do magnésio.

Sensibilidades Alimentares:

O alimento é um poderoso aliado à saúde, porém as variações genéticas individuais fazem com que se manifestem reações adversas para alguns tipos de alimentos. Através desse exame é possível identificar a predisposição a certas intolerâncias e sensibilidades alimentares. Por exemplo, substâncias como álcool, cafeína, níquel, sódio, frutose, lactose, glúten, assim como a predisposição genética ao acúmulo ou deficiência de absorção de ferro.

Capacidade antioxidante e destoxificante

Os processos metabólicos que ocorrem no interior do nosso organismo produzem resíduos tóxicos, os quais devem ser eliminados para garantir um funcionamento celular saudável. Através da análise do DNA é possível identificar a predisposição genética do nosso organismo para combater, de maneira eficaz e com fundamentação nos genes, o excesso de radicais livres e o acúmulo de toxinas.

Alimentação e bem-estar

Ao unir a genética e a alimentação podemos conhecer antecipadamente a suscetibilidade à hipercolesterolemia, à diminuição da atividade insulínica, ao acúmulo de gordura visceral e à síndrome metabólica, o que possibilita a modular o plano alimentar e clínico, permitindo uma prevenção eficaz.

Controle do peso

Com a análise do metabolismo de carboidratos, lipídios e proteínas, é possível identificar um perfil alimentar de macronutrientes personalizado, também baseado na predisposição genética. A análise genética do comportamento e dos hábitos alimentares influenciam diretamente no padrão alimentar que poderá ser personalizado de acordo com as necessidades genéticas para a manutenção do peso de forma saudável.

Nesses 5 módulos são analisados 105 genes e seus polimorfismos, através da coleta de material genético na clínica, posteriormente encaminhado para a Itália.

Dosagem Hormonal

Através da coleta de saliva, em diferentes tempos e situações, é possível diagnosticar os níveis de hormônios esteroides biodisponíveis ativos no tecido. A saliva contém esses hormônios livres e através da sua análise é possível ter um panorama mais específico dos que estão biologicamente disponíveis para atuarem imediatamente nas células dos órgãos e tecidos, prontos para serem utilizados pelo nosso corpo.

Esse exame é um instrumento para ajustar e monitorar a terapia de reposição de hormônios (HRT), traz precisão para a detecção e monitoramento no tratamento de fadigas causadas pelo estresse, além de auxiliar em análises clínicas embasadas nos preceitos de programas de longevidade, performance esportiva, nutrição entre outras.

The GI Effects

Encaminhado aos Estados Unidos, este é um exame de fezes avançada que fornece uma série de informações clínicas para a gestão da saúde do intestino. Utilizando as tecnologias mais inovadoras disponíveis, este exame oferece:

• PCR (Polymerase Chain Reaction), um ensaio molecular otimizado para testes de fezes avalia 24 bactérias comensais associadas na literatura científica com saúde e doença, e fornece informações sobre o microbioma humano;
• calprotectina, um biomarcador aprovado pela FDA (Food and Drug Administration) que efetivamente diferencia entre a Síndrome do Cólon Irritável (SII) e doença inflamatória intestinal (DII);
• detecção de óvulos e parasitas, o padrão-ouro para a identificação de parasitas.

Através de relatórios avançados que incluem uma Interpretação global, que destaca biomacadores clinicamente acionáveis em três áreas-chave da saúde do intestino: infecção, inflamação e desequilíbrio.

Sabemos que a função gastrointestinal é fundamental para uma boa saúde. A evidência emergente tem associado a função geral e o estado do intestino, microbioma, com uma ampla variedade de doenças comuns, incluindo, mas não se limitando a:

• Síndrome do Intestino Irritável (SII)
• doença inflamatória intestinal (DII)
• diabetes
• obesidade
• doenças cardiovasculares
• celíaca e outros distúrbios de má absorção
• transtornos do humor
• doenças autoimunes
• autismo

Blood Spot

Com o perfil Blood Spot revela-se problemas na absorção de aminoácidos através do panorama de desequilíbrios dos aminoácidos essenciais.

Os aminoácidos, conhecidos como os "blocos de construção" das proteínas, são encontrados em todos os tecidos do corpo. Eles desempenham um papel importante em quase todos os processos químicos que afetam a função física e mental, incluindo a formação de ligamentos, tendões, ossos, bem como anticorpos e regulação de enzimas e de proteínas de transporte do sangue. Vinte aminoácidos diferentes são usados ​​para sintetizar proteínas.

Alzheimer

Alzheimer é uma doença neurodegenerativa e é a causa mais comum de demência em pessoas idosas, representando 50 a 80% dos casos. Apresenta manifestação clínica lenta, porém progressiva, com perda de função cognitiva como memória, raciocínio lógico, linguagem, atenção e habilidade visual e espacial.

Estima-se que no Brasil meio milhão de idosos tenha a Doença de Alzheimer, que pode ser causada por fatores ambientais ou hereditários, ou seja, transmitidos de geração pra geração dentro das famílias.

Dessa forma, através da biologia molecular, o exame possibilita um painel para Doença de Alzheimer e avalia mutações nos genes APOE, APOC1, GAB2 e LTA, todas relacionadas a predisposição do paciente desenvolver a doença. São avaliadas cinco mutações, através da saliva e do sangue, que indicarão a probabilidade de desenvolvimento da doença.

Câncer de Mama

Sabe-se que cerca de 10% dos tipos de Câncer de Mama são hereditários, ou sejam, podem ser transmitidos de geração para geração dentro da família. Dessa forma o exame genético para identificação das mutações se torna um aliado na prevenção do Câncer de Mama, pois permite identificar a probabilidade de desenvolver a doença antes mesmo que apareça o primeiro sintoma. 

O Painel para Câncer de Mama consiste em detectar mutações presentes nos genes BRCA1, BRCA2, TP53, ATM, CHEK2 e MTHFR para avaliar a predisposição do paciente a desenvolver a doença. Através da coleta de saliva e de sangue, são avaliadas 24 mutações que indicarão a probabilidade de desenvolvimento da doença.

Medline Osteo

Esse exame avalia a predisposição genética à osteoporose e às lesões articulares, levando em consideração não apenas o metabolismo do cálcio e da vitamina D, mas também os receptores hormonais: os SNP selecionados fazem parte de uma mesma via metabólica envolvida no controle do acúmulo e do turn over da massa óssea.

H.Thrombophilia

Permite identificar a predisposição individual à trombofilia hereditária, avaliando a condição de um aumento do risco trombótico. O percurso preventivo contra esta patologia leva em consideração os hábitos e os aspectos cotidianos na vida que associada a predisposição genética, podem representar determinantes fatores de risco.